sábado, 11 de dezembro de 2010

Gastronomia do estudante universitário

Boas,

A todos os estudantes que como eu saíram de casa dos pais para se fazerem a vida e mal têm tempo para estudar cá vão umas dicas para umas refeições práticas, rápidas, económicas e saudáveis:

Refeição 1: tostas de queijo, fiambre ou mistas grelhadas no tacho (utiliza pão de forma e barra um pouco de manteiga nas fatias que estão em contacto com a frigideira), acompanhadas de uma sopa ou creme de legumes.


Refeição 2: salada russa com batata e ovo cozido, atum, ervilhas e cenouras aos cubos. Pode ser servida quente ou frio, com um pouco de maionese ou azeite e vinagre, conforme o gosto.

Refeição 3: almôndegas cozinhadas com molho de tomate e orégãos, acompanhadas de esparguete cozido.

Refeição 4: bife de frango, porco ou de vaca cortado às tiras, salteado com legumes chineses (ou frescos) e acompanhado de arroz branco ou integral.

Refeição 5: hambúrgueres grelhados com uma fatia de queijo, alface e tomate em qualquer tipo de pão (não tem necessariamente de ser pão de hambúrguer), servido com batatas fritas caseiras.

Refeição 6: qualquer tipo de massa cozida, acompanhada de salmão salteado (compra postas congeladas e desfaz em tiras ou pedaços) com alho, manjericão e azeite.

Refeição 7: carne picada cozinhada com molho de tomate, orégãos e queijo mozzarella, embrulhada em tortilhas previamente aquecidas.

Refeição 8: omeleta com cogumelos, salada de tomate e queijo mozzarella, com arroz branco ou integral.

Refeição 9: camarão descascado (compra embalagens congeladas) salteado com manteiga, alho e piripiri; acompanhado com uma salada tropical de alface, tomate, ananás e manga.

Refeição 10: compra bases de pizza já feitas, acrescenta um pouco de molho de tomate, muitos legumes de vários tipos, um pouco de queijo ralado, coloca no forno e em meia hora terás o jantar pronto.

Asta, 




sábado, 4 de dezembro de 2010

A pequena Inês de Baião


Boas,

Mais uma vez farei de mensageiro e  farei deste blogue uma janela de Baião para o mundo mas desta vez para um assunto que tratarei com a maior seriedade possivel, pois nem pode ser abordado de outra maneira. 

Apelo ao lado humano de cada um para que neste Natal se pergunte se pode ou não ajudar esta menina. 

Se sim acha que sim há várias formas de o fazer: participando nos eventos de angariação de fundos, através do donativo ou através da divulgação desta causa. 

Esta é a historia da pequena Inês e que pode ser encontrada no seu site em: 

http://vamosajudaraines.no.comunidades.net/index.php , ou no grupo do facebook. 


"No dia 04 de Outubro de 2004, nascia uma menina em Baião (Portugal), perfeitamente normal, que se chamaria Inês.


Até aos cinco meses de vida, aparentava ser uma criança normal, após esse tempo, os pais começaram a achar estranho o facto da pequena Inês, não abrir as mãos, não se conseguir manter com as costas direitas, não fazer muita força a nível dos membros, não conseguia manter a cabeça fixa, o seu desenvolvimento não evoluia da mesma forma como uma criança normal.

Posto isto, logo a partir dos 6 meses de idade, a pequena Inês, foi consultada por um diverso número de médicos, inclusivé os seus pais deslocaram-se a Espanha à procura de uma solução para a sua menina.

À cerca de um ano e meio, os pais da Inês, conseguiram arranjar o contacto de um médico Cubano que tem o seu consultório em Vila Nova de Gaia, e a partir daí começou a ser consultada de semana a semana, até que o médico, recentemente enviou os relatórios médicos da Inês para outros médicos cubanos e estes como resposta... disseram que se a menina se deslocar a Cuba e fizer um tratamento de aproximadamente 3 meses, tem fortes probabilidades de andar e de ter uma qualidade de vida muito melhor.

Desde que a Inês está a ser tratada por este médico e a fazer sessões de Fisioterapia na Clínica da Santa Casa Misericórdia de Baião, já se notam melhorias, já consegue manter-se algum tempo sentada, tem mais equilibrio na cabeça, já abre as mãos, consegue levar sozinha pão e bolachas à boca.

O tratamento em Cuba, insidirá em 3 áreas: Fisioterapia, terapia da fala e terapia ocupacional, inicialmente será operada aos pés, para ter um melhor equilíbrio no corpo.

Como veêm na descrição acima, a pequena Inês, é uma criança sem autonomia, precisa de ter sempre uma pessoa ao seu lado para lhe dar um sImples copo de água à boca, não consegue falar normalmente (só diz uma única palavra: PAPÁ), exprimir-se, não consegue ser uma criança (brincar, divertir-se, tudo ao que uma criança tem direito)."

Asta